Uma visão rápida do cenário regulatório de ESG em 2024: Parte 2 - EUA e APAC

Conformidade regulamentar 22 de dezembro de 2023 ECOFACT e Clarity AI

Um guia para empresas e participantes no mercado

A regulamentação está a moldar cada vez mais a forma como o mundo empresarial e o sector financeiro devem integrar considerações ambientais, sociais e de governação (ESG) nas práticas empresariais. Sabendo que os tópicos de sustentabilidade e ESG continuarão a estar na frente e no centro em 2024, a Parte 2 desta série destaca algumas mudanças previstas nas estruturas regulatórias nos mercados dos Estados Unidos (EUA) e da Ásia-Pacífico (APAC), bem como tendências internacionais mais amplas.

A primeira parte desta série centra-se na União Europeia, no Reino Unido e na Suíça.

O panorama regulamentar ESG dos EUA em 2024
No que diz respeito à regulamentação das finanças sustentáveis, os EUA estão menos avançados no seu percurso em comparação com outras regiões. No entanto, há uma mudança notável na forma como os reguladores federais e estaduais estão a abordar os tópicos ESG. Algumas evidências de mudanças no horizonte incluem o seguinte:

O que se espera
Descrição
Quando é esperado

A Securities and Exchange Commission (SEC) vai publicar uma regra de divulgação de informações sobre o clima

Uma regra proposta pela SEC alteraria o Regulamento S-K para exigir que os emitentes divulguem uma série de riscos relacionados com o clima e dados sobre as emissões de gases com efeito de estufa (GEE). (O Regulamento S-K especifica os requisitos de informação para os registos da SEC ao abrigo do US Securities Act e do Exchange Act).

Q2 2024: Algumas fontes da comunicação social indicam que a SEC está a planear finalizar as regras de divulgação do clima até abril de 2024.

Algumas empresas que operam na Califórnia vão começar a preparar-se para comunicar as suas emissões de gases com efeito de estufa e os riscos financeiros relacionados com o clima

Em outubro de 2023, o estado da Califórnia aprovou dois projectos de lei que obrigam à apresentação de relatórios por parte das empresas que cumpram determinados limites:

SB 253 (Climate Corporate Data Accountability Act) exige a divulgação anual das emissões de GEE de âmbito 1, 2 e 3.

SB 261 (Lei sobre os riscos financeiros relacionados com o clima) exige a apresentação de relatórios bienais sobre os riscos financeiros relacionados com o clima, em conformidade com as recomendações da Task Force on Climate-related Financial Disclosures.

2024-2026: As primeiras divulgações ao abrigo destas leis serão publicadas pela primeira vez em 2026 (abrangendo o ano fiscal de 2025), mas esperamos que as empresas comecem a preparar-se em 2024.

As regras de designação de fundos da SEC serão finalizadas e implementadas

Para evitar alegações enganosas, a SEC alterou a "Regra dos Nomes dos Fundos" da Lei das Sociedades de Investimento em 2023. Entre outras mudanças, a emenda exige que as empresas e fundos de investimento invistam pelo menos 80% de seus ativos nos investimentos sugeridos pelo nome do fundo ou da empresa.

2026-2027: A alteração prevê prazos de cumprimento variáveis para diferentes grupos de fundos com base nos seus activos líquidos. Os grupos de fundos com activos líquidos iguais ou superiores a mil milhões de dólares têm 24 meses para cumprir a nova regra das denominações, enquanto os grupos de fundos com activos líquidos inferiores a mil milhões de dólares têm 30 meses para cumprir.

Divulgações reforçadas da SEC para consultores de investimento e sociedades de investimento sobre práticas de investimento ESG

A SEC propôs uma regra para melhorar a divulgação de informações por parte de certos consultores de investimento e sociedades de investimento sobre práticas de investimento ESG em 2022.

A regra propõe três tipos de fundos de investimento ESG:

  • Fundos de integração
  • Fundos centrados em ESG
  • Fundos de impacto

TBD 2024: Esperamos que esta regra seja finalizada em 2024, possivelmente após a regra de divulgação do clima mencionada acima.

A regulamentação ESG vai aumentar na região APAC
A região Ásia-Pacífico está a assistir a uma aceleração da regulamentação ESG, impulsionada por uma procura premente de maior transparência e definições mais rigorosas para produtos de investimento sustentável em toda a região.

O sector das finanças sustentáveis da Austrália está em rápida expansão, com muitas iniciativas em curso para promover as finanças sustentáveis na Austrália.

Singapura, um líder entre os países da APAC

O que se espera
Descrição
Quando é esperado

A taxonomia Singapura-Ásia (verde e de transição) começará a ser aplicada

A taxonomia foi finalizada em dezembro de 2023. É, nomeadamente, a primeira taxonomia de transição multi-setorial do mundo e inclui um quadro para a eliminação progressiva da energia a carvão.

2024: As empresas financeiras e não financeiras começarão a aplicar a nova taxonomia.

Espera-se que as recomendações da Autoridade Monetária de Singapura para o planeamento da transição das instituições financeiras sejam finalizadas

Publicadas como projectos para consulta em outubro de 2023, estas orientações para os bancos, gestores de activos e seguradoras explicam como desenvolver e apresentar planos de transição credíveis para a neutralidade líquida.

2024: As versões finais deverão ser publicadas em 2024.

A Austrália vai dar mais atenção ao financiamento sustentável

O que se espera
Descrição
Quando é esperado

Será decidida e aplicada uma estratégia de financiamento sustentável

Um projeto de estratégia de financiamento sustentável publicado em novembro de 2023 pelo governo australiano visa mobilizar o investimento privado e público necessário para financiar a transição das empresas para operações mais sustentáveis e com menos emissões de carbono.

2024 em diante: Uma vez finalizadas, as medidas da estratégia serão implementadas ao longo do tempo; no entanto, não foi comunicado um calendário pormenorizado.

Poderá ser desenvolvida uma taxonomia do financiamento sustentável

Considerado uma das principais prioridades do governo, o projeto de taxonomia financeira sustentável irá desenvolver definições de actividades económicas sustentáveis que possam ser utilizadas para "definir de forma credível e transparente os investimentos sustentáveis".

2024 em diante: O Instituto Australiano de Finanças Sustentáveis continuará a trabalhar neste projeto.

Tendências e colaborações internacionais
Para as empresas com uma pegada global, é essencial compreender a forma como a comunidade internacional está a lidar com os problemas globais - esta visão pode informar a forma como uma empresa navega pelos diversos, e até divergentes, requisitos ESG dos países onde opera.
Uma vez que os efeitos das alterações climáticas e da perda de natureza transcendem as fronteiras políticas, é necessária uma colaboração global para alcançar uma economia de baixo carbono e proteger a biodiversidade. Organizações como o International Sustainability Standards Board (ISSB), o Taskforce on Nature-Related Financial Disclosures (TNFD) e a Glasgow Financial Alliance for Net Zero (GFANZ), para citar apenas algumas, têm como objetivo refletir os novos desenvolvimentos científicos, políticos, cenários e metodologias nas suas respectivas normas e recursos de apoio.

Tendências e perspectivas até 2024
Ao olharmos para 2024 e mais além, as empresas de todo o mundo continuarão a debater-se com um panorama regulamentar ESG que está a evoluir rapidamente. A regulamentação pode forçar as empresas a adaptarem-se rapidamente e ser uma fonte de risco, mas também vale a pena notar que a evolução da regulamentação das finanças sustentáveis também pode apresentar oportunidades para as empresas que conseguem moldar e adotar o cenário em mudança. Com acesso a dados e ferramentas analíticas de alta qualidade, as empresas podem garantir que se mantêm actualizadas e que podem oferecer aos seus clientes os produtos sustentáveis que estes exigem.

Introduza o seu endereço de correio eletrónico para ler mais